Actions

Work Header

Meu dia, minha paz e está tudo bem com isso

Work Text:

Jaeyoon e Inseong já não aguentavam mais responder sobre Youngbin. Parecia que o mundo ia desabar porque ele havia sumido. Tudo bem que ele era o monitor da Lufa-Lufa, mas Jaeyoon também era monitor e conseguia fazer tudo que Youngbin fazia. Mas parecia que todos os outros precisavam dele.

— Eu não aguento mais isso… — Jaeyoon reclamou para Inseong enquanto os dois tentavam almoçar. — Eles parecem crianças que se perderam dos pais. Sendo que eu ainda estou aqui!
— Eles são dos dois primeiros e se apegaram ao Bin, então é normal que sintam falta dele. — Inseong tentou tranquilizar o namorado enquanto estava de olho nos primeiro anistas de sua casa. Não queria que eles fizessem Corvinal perder mais pontos.
— Mesmo assim! Parece que sou um inútil… — Jaeyoon continuava frustrado.
— Com licença, você é monitor Lee Jaeyoon não é? — O casal se virou e viu três jovens de casas diferentes juntos: um da Lufa-lufa, um da Sonserina e um da Grifinória.
— Sou sim, precisam de algo? Na verdade, você da Lufa-lufa precisa de algo, os outros dois não sei o que fazer sobre. — Jaeyoon estava meio confuso em ver jovens de casas diferentes juntos, ainda mais para pedir ajuda. Mesmo assim levou uma cotovelada de Inseong para ser mais gentil com os garotos.
— Nós somos do segundo ano e Youngbin disse que iria estudar com a gente para a prova de poções, mas não achamos ele. Será que você podia fazer isso?
— Claro que ele pode, eu vou com vocês para ajudar também. — Inseong respondeu por Jaeyoon, que revirou os olhos amaldiçoando Youngbin por sumir às quintas-feiras. — Como vocês chamam? São amigos?
— Eu sou Chanhi. — Disse o menino da Sonserina. — E os dois pombinhos são namorados, Younkyun e Taeyang. O Youngbin está doente?
— Não, ele só está no dia dele. — Jaeyoon levantou se preparando para ir com os mais novos para a sala de poções.
— Mas aconteceu alguma coisa? — Taeyang, o garoto da Grifinória, falou.
— Não, não aconteceu, ele só gosta de ficar sozinho um dia na semana, geralmente nas quintas. — Inseong comentou. — Mas ele está bem, não é nada de triste ou algo assim. Só um momento dele…
— Acho que eu vou adotar e sair de perto de vocês por um dia. — Chanhi comentou olhando para os amigos, que só riram e seguiram os mais velhos para a sala de poções.

***

Youngbin estava sentado na grama perto do lago. O dia estava ameno, nem tão quente, nem tão frio, mas agradável para ficar ao ar livre. Então Youngbin aproveitava para fazer suas leituras e alguns exercícios ali mesmo.
O local também estava tranquilo, havia alguns alunos na parte onde havia árvores floridas fazendo piquenique, mas ali na parte bem perto do lago não havia ninguém, ou pelo menos não deveria haver, já que Youngbin prezava seu dia sozinho e ao escolher onde ia ficar levava isso muito em consideração.
Ser interrompido no seu sossego por alunos mais novos era sempre cansativo e muitas vezes mais estressante do que quando ele era parado aos gritos no prédio principal ou pelos jardins para ajudar com algo. Era sempre engraçado como ele e Jaeyoon ainda se assustavam com os lufanos mais novos os chamando aos gritos.

Como seus amigos mais próximos sabiam, ele gostava de ter um dia sozinho, não era nada demais. Só um momento de paz e tranquilidade que ele podia esquecer que era alguém sociável e com certas obrigações e aproveitar sua própria companhia.
No começo era difícil, ele sentia falta de ver outras pessoas, muitas vezes desistia antes do dia acabar e ia atrás de alguém para conversar. Mas com o tempo se habituou com sua própria presença e companhia. E agora não abria mão por nada daquele tempo só seu.
É verdade que às vezes se sentia um pouco triste por ter que ficar pensando sobre sua própria vida e lembrar dos problemas, mas Inseong sempre falava para Youngbin, quase como um mantra em sua mente, que era algo necessário e bom. E agora, o Kim começava a achar que era verdade e aceitar seus problemas.

— Com todas as árvores de Hogwarts você tem que dormir aqui embaixo? — Youngbin comentou vendo uma pessoa sentar do lado oposto e para cochilar.
— Grande monitor Kim Youngbin, acho que somos livres para dormirmos em qualquer lugar não? — O estudante da Grifinória deitou sem ligar para os protestos.
— Ok então, eu posso achar outra árvore então, monitor Lee Sanghyuk. — Youngbin começou a juntar suas coisas para ir embora.
— Só fique aí, Youngbin, não vamos brigar por isso. — Sanghyuk ouviu ele parar e fechou os olhos.
— Não, eu quero ficar sozinho, Sanghyuk, você sabe disso. — Youngbin terminou de juntar suas coisas.
— E eu só queria um momento com você, já são quatro e meia, você não pode abrir uma exceção? — Sanghyuk levantou rapidamente a tempo de ver Youngbin levantar também.
— Você sabe que não, eu não posso, é meu dia sozinho, meu dia só meu, pode falar comigo de noite ou amanhã de manhã. Ok? — Youngbin sorriu falsamente.
— Kim Youngbin ao mesmo tempo que eu estou com vontade de te dar um murro por cuidar da sua saúde mental de tal forma que não posso ficar nem no mesmo espaço que você, eu quero de dar um abraço por ser tão forte assim. — Sanghyuk sorriu sincero e abraçou o mais velho, que ficou confuso. — E obrigado por fazer Jaeyoon perder uma aposta e ter que fazer minhas atividades de Herbologia dessa semana e da próxima.

Youngbin revirou os olhos, porque no fundo ele esperava que aquele inconveniente fosse causado por seus amigos. Mesmo eles sabendo de seus desejos.

— Vocês não me respeitam mesmo, não é? — Youngbin se soltou do abraço.
— Às vezes é legal te irritar um pouco. — Sanghyuk riu e o Kim lhe deu um tapa.
— Continue assim e vai acabar passando as férias de inverno sem namorado. — Youngbin ameaçou e viu o Lee fazer cara de cachorro sem dono. Então o Kim só sacudiu a cabeça e lhe deu um selinho. — Até o jantar, agora vai se vangloriar que não conseguiu nada aqui, com os meninos.
— Já estou lá. E aliás, Jaeyoon vai te matar mais tarde, mas não vou dar mais spoilers. — Sanghyuk saiu correndo e deixou Youngbin com mais vontade ainda de matá-lo, já que estava ansioso demais para saber o porquê do outro Lee querer sua morte.

— Não vou me estressar com isso, minha lição de Feitiços está muito mais legal que isso. Realmente está. — Youngbin sentou de novo e voltou a fazer sua lição tentando não se deixar levar pelo namorado.

Era seu dia e nada iria tirá-lo do seu momento.