Actions

Work Header

Lua Cheia

Work Text:

Desci do meu quarto. Depois de chorar até os meus olhos secarem, resolvi ir ver meu amigo lobisomem. Só ele poderia me animar.

— Charlie, eu vou a La Push ver Jacob. — Eu disse com o pouco de voz que me restava. Ele apenas assentiu com a cabeça. Minhas vontades repentinas de ir à La Push não o assustavam mais. Dirigi trêmula, lutando contra as lágrimas que  insistiam em cair dos meus olhos,  

Cheguei em frente à casa de Billy, torcendo para que Jacob estivesse lá. Buzinei. Nada. Buzinei mais uma vez. Nada. Então, quando eu buzinei uma terceira vez, vi o rosto de Jake aparecendo na janela, varrendo a rua procurando a origem do barulho. Quando seus olhos pararam na minha velha caminhonete, ele abriu um largo sorriso, e fez um sinal pra que eu entrasse.

— Queria tentar andar de novo nas motos. — Disse assim que entrei. Ele se espantou, deve ter se lembrado do nosso ‘pequeno’ incidente da última vez. Mas cedeu.

— Porque quer tentar de novo hein, Bella? — ele perguntou, enquanto me ajudava a subir na garupa da moto. Ele tinha certa desconfiança na voz.

— Não sei.  — Minha voz demonstrou o meu pânico. Ele riu.

— Quer que eu vá com você? No mínimo, se você cair, eu te protejo. — Ele disse, convencido de que era o homem de ferro. Mas, o meu pânico falou mais alto e eu aceitei a proposta. Ele subiu na moto atrás de mim, segurou na minha cintura e eu acelerei. Andei rápido demais, e acabei me desequilibrando. Por incrível que pareça, ele me protegeu. Caí em cima dele, e nossas bocas ficaram muito próximas. Ele me olhou nos olhos, e me beijou. Alguma parte do meu ser me dizia que aquilo era errado, e que eu deveria parar agora. Mas eu não tinha esta vontade. Retribuí o beijo, e ele pareceu se surpreender com a minha atitude. Eu percebi que, eu não gostava dele apenas pelo seu carisma, pela sua capacidade de me fazer esquecer Edward. Eu percebi que eu também o amava. Separamos nossas bocas pela necessidade de ar.

— Eu te amo Bella. — ele disse, num sussurro quase inaudível.

— Eu também te amo Jacob. — eu disse, no mesmo tom. Ele sorriu. Talvez eu não o amasse tanto quanto eu amo Edward, mas eu o amo. Talvez com ele, a ferida que assombrava meu peito se sarasse. A cicatriz ficaria ali eternamente, mas, a dor não existiria mais. Talvez eu devesse dar mais uma chance ao amor. Talvez, se eu der uma chance a Jake de tentar me fazer feliz de novo, tudo se acerte. É incerto, e as possibilidades são muitas. Mas... talvez eu devesse tentar.