Actions

Work Header

Recollection & Foreboding

Chapter Text

"O inimigo mais perigoso que você poderá encontrar será sempre você mesmo".

 

-- SEGUNDA, 14 de novembro. Noite. Céu claro (Alerta de surto de gripe). --

 

Akechi estava sozinho em seu minúsculo apartamento, a única luz acesa era a que ficava sobre a mesa. O detetive esboçava uma série de mapas, anotando os detalhes vistos no Palácio de Niijima, pensando em como poderia armar uma emboscada ali e ao mesmo tempo poupar os outros integrantes do grupo. Ele poderia usar um outro celular para levar a tropa de choque até o Palácio, mas como explicar o ocorrido? Como guiá-los até lá, e ao mesmo tempo participar do saque do Tesouro de Sae-san?

Subitamente, interrompendo sua concentração, interrompendo o silêncio, seu celular vibrou de forma insistente. O detetive atendeu no primeiro toque, já com um mau pressentimento.

"Quanto tempo terei que esperar até que os Phantom Thieves sejam eliminados? Não é do seu feitio ficar postergando suas tarefas."

Mais uma vez, Shido ligou cobrando por suas ações. Ele deu a mesma desculpa, enquanto pouco a pouco seu sangue gelava, a frieza tomando conta de sua alma.

"Já mencionei que só vou agir na véspera do mandato de busca. Não podemos arriscar que os Phantom Thieves nos peguem de surpresa."

"Qual a necessidade de planejamento? Você poderia simplesmente eliminá-los e pronto."

As palavras vieram de imediato, calmas e controladas. Quase como se outra pessoa as sussurrasse em sua mente...

"Acalme-se. Não seria interessante que eles simplesmente desaparecessem sem mais nem menos. Você não precisa de um escândalo para se promover?"

"Um bando de adolescentes mortos subitamente não é escândalo suficiente?"

"Não, isso não provaria nada. O que você quer é que reconheçam que você estava certo a respeito daqueles ladrões. Na data combinada eles estarão muito ocupados tentando mudar o coração de Niijima."

"E como isso mudaria o plano?"

"Simples. Eles estarão com a guarda baixa, confiantes demais em seus próprios esquemas. Irei guiar a polícia até o Palácio dela e pegar os Phantom Thieves em flagrante. Seria o único jeito de prendê-los, dado os métodos que eles utilizam. Liderei com eles depois disso."

"Como, exatamente?" Shido perguntou, de forma maliciosa, ansiando por detalhes, já desfrutando do momento. O garoto replicou de uma forma quase que animada, como se também partilhasse daquela visão distorcida.

"Vejamos... Podemos dizer que ela roubou o revólver do guarda e cometeu suicídio durante o encarceramento... O que acha disso? Questionamentos sobre a segurança pública virão à tona logo no primeiro dia... e naquela sala, minha tarefa será simples."

"Silenciar essas questões... matando-a. Na frente de testemunhas, inclusive."

Testemunhas. Um agravante, mas ainda assim, passível de ser contornado.

"Sim, o guarda terá que ser um dos nossos. Porém, teremos que eliminá-lo depois para destruir as evidências..."

"Exatamente. Nem o menor traço deve ser deixado de lado."

"Bem, então nesse caso ficarei por conta dos arranjos necessários para o dia seguinte à prisão dela... E assim a temível criminosa responsável pelos apagões mentais em massa terminará com a própria vida. E quando ela o fizer, você se tornará o grande herói que salvou o Japão do mal. Tal como eu, claro. Nós deixamos bem claro o quão perigoso era esse grupo de ladrões. A culpa inevitavelmente recairá sobre eles, livrando-o de qualquer envolvimento ao mesmo tempo que consolida sua imagem. Basta ter um pouco de paciência..."

Houve um momento de silêncio do outro lado da linha, um momento de silêncio antes de Shido responder.

"Certo. Você me convenceu. Por enquanto." Shido ressaltou. "Aguardo seus resultados." 

Shido desligou, o som da chamada sendo encerrada foi o suficiente para que ele se atentasse a outras coisas, como a entidade que se postou atrás de si.

"Não acredito que irá desistir, depois de tudo que fiz por você."

"Quem disse que estou desistindo?" Akechi contestou a opinião que invadira sua mente, contestou aquela voz depreciativa e tão conhecida.

"Não minta para si mesmo. Você não planeja seguir as ordens de Shido. De fato, está planejando como arruiná-las, não é? Um esforço inútil. Ele irá te matar assim que notar sua oposição, e em seguida, procurará outro para eliminar a garota."

"Sei disso. Shido só vai ficar satisfeito se ela estiver morta. Para ele não interessa como. Já que ele não se importa, é possível enganá-lo a respeito."

"Se você for descoberto, você será morto. Por que se importa tanto com ela? Ou com os Phantom Thieves? Você nunca será um deles. Assim que descobrirem a verdade, eles irão lhe deserdar. Lhe odiar."

Sabia disso, sabia como isso o feria. Então Akechi decidiu revidar na mesma moeda, atacando-o da mesma maneira.

"Você se considera como uma força sem tamanho, não é, Loki?" o detetive riu diante da arrogância de sua própria Persona, arrogância parte dele próprio. "Acha que é forte o bastante para executar nossa vingança? Não." ele admitiu sua fraqueza, aquilo era fato. "Nem eu, nem você, nem Robin. A possibilidade de'u falhar é grande demais para ser tolerada... talvez os Phantom Thieves não lidem com Shido do jeito que eu gostaria, mas certamente não o deixariam passar impune."

"Não minta para si mesmo. Você não conseguirá conciliar esses dois objetivos. Ao escolher sua vingança, você abriu mão de seu futuro."

"Sim. Jamais poderei mudar o passado, ou esquecer o que se passou. Por isso sacrifiquei meu futuro. Por não tolerar que tudo aquilo se repetisse novamente. Eu não vou deixar que outros sofram da mesma sina que a minha. É o mínimo que eu posso fazer."

É a única coisa que posso fazer.

"É por isso que você quer salvar os Phantom Thieves da ira de Shido? Suas intenções podem até serem as mais corretas, mas os seus meios não. Se bem que você nem sabe ao certo como resolver essa situação, não é?"

"Só preciso de um tempo para pensar."

Com você calado, de preferência.

"Você deveria considerar todos os aspectos de sua cognição se quiser ter um bom insight." Loki respondeu a seu pensamento. "Aonde você deveria estar no momento da invasão?"

"No Departamento de Investigações Especiais da Delegacia de Polícia de Shibuya."

"Niijima acredita que você estará lá?"

"Sim. Por quê?"

"Posso tomar posse da imagem cognitiva que ela tem sobre você... e liderar o grupo policial sem que haja baixas. Você não precisará de mim durante a tomada do Tesouro. Para todos os efeitos, você só tem uma Persona."

"Então, eu só precisaria marcar o uso do aplicativo no local que Sae-san acreditar que estarei. No caso, no departamento."

"Exatamente".

"Agradeço a sugestão, Loki".

"Minha ajuda tem um preço."

Akechi suspirou, cansado. Simplesmente não partilhava, no momento, da sede de sangue de sua Persona.

"Foco".

"Eu estou focado."

"Não. Não se desvie de sua missão. Não deixe na mão de outros o que só você pode fazer."