Actions

Work Header

Behind Blue Eyes - Parte 1: Memórias, Crônicas e Declarações de Horror

Chapter Text

Stiles não era conhecido por ter ideias muito boas. Podiam parecer brilhantes e de fato eram bem pensadas, mas não costumavam terminar bem. Estava provavelmente batendo um recorde com sua última, porém.

Procurar por um corpo, à noite, no meio da floresta. E ainda por cima havia arrastado seu melhor amigo, Scott, para a confusão. O resultado disso foi um pai extremamente furioso e aparentemente a sanidade mental de Scott, que agora acreditava ter sido mordido por um lobo. Não tem lobos na Califórnia.

E agora estavam novamente na floresta a procura do inalador de asma de Scott.

- Eu não sei como é que eu fiz... – Scott dizia enquanto atravessavam um pequeno córrego. – Foi como se eu tivesse todo o tempo do mundo para pegar a bola.

Stiles tinha que admitir que a habilidade que seu amigo mostrara no treino de Lacrosse foram surpreendentes. Mais pelo fato de que Scott era péssimo, mas ainda assim.

- E essa não foi a única coisa estranha. – Ele continuou. – Eu posso ouvir coisas que eu não devia ouvir. Sentir cheiros...

- Sentir cheiros? – Okay, agora Stiles tinha certeza que Scott estava ficando maluco. – Tipo o que? – Perguntou com um sorriso debochado em seu rosto.

- Tipo o chiclete de menta no seu bolso. – Seu amigo parou e respondeu.

- Hm, eu não tenho chiclete nenhum... – Disse enquanto mexia em sua jaqueta e então seus dedos alcançaram uma pequena embalagem.

Stiles puxou-a pra fora e encarou o chiclete de menta. Estranhou por um momento, mas logo Scott voltou a seu percurso.

- Isso aí começou com a mordida? – Indagou enfim.

- E se for uma infecção? – Scott perguntou. – E o meu corpo estiver cheio de adrenalina e eu entrar em choque? – Ele parecia realmente preocupado.

- Quer saber? Acho que já ouvi falar nisso. – Stiles disse quando algo veio a sua mente. Nada útil, obviamente. – É um tipo específico de infecção...

- É sério? – Scott parou e se virou novamente para Stiles.

- É. Acho que se chama... Licantropia.

- E o que é isso? É ruim? – Scott estava mais preocupado ainda.

- Ah é. É bem ruim. Mas é só uma vez por mês. – Stiles completou, tentando manter a seriedade.

- Uma vez por mês? – Scott repetiu confuso.

- Aham, na noite de lua cheia. – O adolescente permaneceu confuso com a resposta e Stiles uivou logo em seguida.

Stiles começou a rir e Scott lhe deu um empurrão.

- Foi você que disse que ouviu um lobo uivando! – Exclamou, ainda rindo.

- Cara, eu posso ter uma coisa séria...

- Eu sei, você é um lobisomem! – Disse soltando um leve grunhido.

Scott apenas o encarou.

- Tá na cara que eu tô brincando. – Stiles continuou. – Mas se eu começar a derreter toda prata que eu tenho com um maçarico é porque sexta é noite de lua cheia.

- Eu juro que foi assim. Eu vi o corpo aqui, um cervo passou correndo... – Scott dizia enquanto apontava para um ponto aleatório no chão. – E eu deixei cair a bombinha.

O adolescente se agachou então e começou a procurar entre as folhas.

 - O assassino pode ter levado o corpo. – Stiles disse sem nenhuma preocupação em sua voz.

- Se levou é bom ter deixado a bombinha. Custa uns oito dólares. – Scott respondeu sarcasticamente.

Stiles riu, mas seu sorriso desapareceu em questão de segundos quando percebeu quem encarava a dupla.

- Aí... – Disse, cutucando Scott que se virou para ver o rapaz de jaqueta preta que os observava.

O rosto de Stiles se contorcia em expressões que indicavam que acabaram de se meter em algum problema.

- O que estão fazendo? – O rapaz perguntou enquanto se aproximava. – Hein?

Stiles passou a mão sobre a cabeça e evitou fazer contato visual. Se o garoto não estivesse tão assustado agora, ele estaria questionando a própria sexualidade.

- Aqui é propriedade privada.

- Foi mal cara, a gente não sabia. – Conseguiu responder.

- É, a gente tava procurando uma coisa, mas... – Scott começou, mas mudou seu discurso ao perceber que o rapaz não se importava. – Deixa pra lá.

O rapaz então jogou algo na direção de Scott, que catou o objeto rapidamente, e então se virou, deixando os dois adolescentes. O objeto era o inalador de Scott.

Stiles olhava o rapaz de boca aperta. Scott achou que estava assustado e talvez surpreso por ter saído dessa vida, mas reparou algo estranho no olhar do amigo.

- Cara! – O garoto começou. – Aquele é o Derek Hale. – Disse como se Scott devesse reconhecer o nome – Você lembra né? Ele é um pouco mais velho que a gente.

- Lembrar do que?

- Da família dele. – Stiles respondeu, levemente irritado com a falta de conhecimento de Scott. – Todo mundo morreu num incêndio tipo uns dez anos atrás.

Scott concordou, enquanto finalmente se lembrava e então perguntou:

- E o que ele quer aqui?

Stiles apenas bufou e disse que deveriam ir embora. Essa foi a primeira interação que teve com Derek Hale.

A segunda foi em um carro de polícia. Depois dele e Scott conseguirem acusar Derek pelo assassinato de uma garota que mais tarde descobririam que era a irmã de Derek. Definitivamente não foram bons começos para estabelecer uma relação.

***

Scott estava encostado ao lado o Jipe de Stiles, observando o olhar mortal que Derek lhe mandava enquanto era colocado no carro da polícia. Percebeu então que Stiles estava se aproximando desse mesmo carro.

O garoto olhou para Scott que sussurrava para que ele não fizesse seja lá o que estivesse pensando em fazer. Stiles simplesmente o ignorou e entrou no carro.

- Olha, – Stiles começou enquanto encarava o rapaz através das grades. – Só pra você saber. Eu não tenho medo de você.

Derek apenas levantou seus olhos, olhando diretamente para Stiles.

Seu rosto dizia “Quero matar você.” Seu coração também devia estar dizendo isso. Na verdade, cada átomo de seu corpo estava querendo arrastar a cara de Stiles no asfalto.

- Tá, talvez eu tenha... – Stiles disse engolindo seco. – Não importa. Eu só quero saber de uma coisa. A garota que você matou, ela era lobisomem?

Derek continuou o encarando com a mesma expressão.

- Ela era de um tipo diferente não era? – Stiles continuou. – Ela conseguia virar um lobo de verdade e eu sei que o Scott não pode. Foi por isso que matou ela?

- Por que tá tão preocupado comigo, quando o problema é seu amigo? – Derek finalmente disse. Seus olhos ferviam de raiva e isso fez Stiles recuar. – Quando ele se transformar, o que acha que vão fazer? Hã? Ficar torcendo por ele? – Derek falava sobre o jogo de Lacrosse.

Ele tinha razão sobre a possibilidade de Scott perder o controle.

- Eu não posso impedir ele, mas você pode.  E confie em mim, – Derek disse se aproximando. – Você quer.

Stiles estava dividido entre o medo que Derek estava lhe causando e a vontade de encarar seus olhos verdes. Porém seu pai, o Xerife, logo lhe tirou do carro e o impediu de continuar a conversa.

A terceira vez que ele encontrou Derek, o rapaz desmaiou na frente de seu carro depois de Stiles quase o atropelar.