Actions

Work Header

Laços Eternos

Chapter Text

Capítulo 1 – Emma Swan Northman

Emma Swan Northman era uma jovem mulher com seus 18 anos. E apesar de ter uma família que a amasse, não estava satisfeita em ser futuramente noiva de Ariel Fish.
Emma não conseguia amar a dragão marinho como ela merecia. A ruiva era uma boa amiga, companheira, ouvinte, mas não fazia o coração da loira bater mais rápido, a respiração ficar acelerada ou ainda ter aquele frio na espinha.

Emma sempre sonhou em ter um amor forte, poderoso, capaz de vencer todo e qualquer obstáculo. 'Espero encontrar um amor desses para mim. Um amor verdadeiro. E por mais que eu tente não tenho isso com a Ariel. Não consigo me imaginar vivendo ao lado dela por toda a eternidade'.

“Ems? Cadê você? Por que você não está arrumada? Sua futura noiva está quase chegando. O nosso pai pediu para eu lhe avisar”. Zelena encontrou a irmã ainda vestida normalmente.

“Eu não entendo isso Zel. Por que eu tenho que casar sem amor? Eu sei que nossa mãe não ama o papai e tenta seu máximo para passar a imagem de ser a mulher mais feliz do mundo, mas eu não quero isso para mim. Eu não acho justo nem com o pai e nem com a Ariel. Viver uma vida de mentira ou ilusão não é comigo”.

“E o que você pretende fazer? Fugir? Voltar atrás com esse acordo que foi feito desde que vocês eram crianças? Você sabe o quanto nosso pai é rigoroso em seus acordos. Ele não vai gostar nem um pouco em saber disso Emma. Pense com muito carinho antes de fazer qualquer coisa”. Zelena não estava gostando de ver o total desânimo da irmã mais nova.

“Eu não posso prometer nada Zelena. Mas vou pensar com carinho o que acabou de me pedir. Sei que vou estar magoando nosso pai, e me dói pensar nisso. Eu os amo e não quero ser ingrata”. Emma estava a ponto de chorar, mas sabia que tinha que ser forte para ninguém perceber nesse jantar.

“É melhor eu te acompanhar. Com esse seu desânimo você não vai se vestir como é esperado”. Zelena subiu com Emma e arrumou a irmã para a mesma deixar todos babando.
Emma estava vestindo um vestido vermelho social que tinha um certo decote tanto na frente, quanto atrás, sapato alto vermelho, um colar de pérolas, batom vermelho e rímel. Ela não era tão feminina assim, mas sua irmã estava fazendo o melhor que podia.

“Zel, você não acha que exagerou um pouco? Estou me sentindo um pouco constrangida nessa roupa. Não é melhor por o meu vestido preto que só tem o decote nas costas? Acho esse vestido ideal para um jantar a dois, o que não é o caso. Eu não quero me produzir para a minha prometida”. Emma explicou bufando.

“A Ariel não vai resistir aos seus encantos. Eu tenho certeza que ela vai querer cair de boca nos seus peitos. E em outras coisas mais. Se você não fosse minha irmã eu transaria com você a noite toda”. Zelena sabia que isso era o oposto do que sua irmã queria, porém achou melhor ouvir o pai.

“Me aguarde Zelena Swan Northman! Se Ariel avançar em mim e for a primeira pessoa que irei trocar um beijo você irá se ver comigo”. Emma saiu do quarto brava.
“Você ainda é virgem de boca? Em que planeta você vive Ems? Com certeza não no planeta terra. Ninguém quis tirar seus cabaços? Ops”.

“Zelena fala mais alto. Acho que em Marte não te escutaram. Não me dirige mais a palavra hoje. Estou de mal”. Emma mostrou a língua para a irmã mais velha.

“Poxa Ems. Você me conhece. Eu não falei por mal. Você está gostosa demais. Se a Ariel não pôr os tentáculos em você irei pedir para ela fazer um exame de vista. Você está linda, uma verdadeira obra de arte em pessoa”. Emma gostou, mas foi durona e fingiu ainda estar brava.

As irmãs Northman chegaram na grande mesa localizada na sala de jantar e todos viraram para elas. Ariel estava com o queixo na mão e não conseguia conter a baba.
“Ariel feche a boca antes de você inundar a sala. Eu sei que minha irmã está uma rainha suprema, mas é feio ficar encarando como se você quisesse comer a minha irmã antes do jantar”. Emma ficou um vermelho tomate. Eric e Kristin engoliram seco e Zel caiu na risada.

“Ariel perdoe a minha filha mais velha. Ela não se controla e fala tudo o que pensa. Zelena tente se comportar. Hoje é uma noite muito especial para nós. Principalmente para sua irmã. Ariel acabou de pedir a mão de Emma para sua mãe e eu, e aceitamos. Devemos mostrar mais respeito. Não foi essa educação que lhe demos”. Eric estava chateado com a atitude de sua filha mais velha.

“Perdoe-me o comentário. Não é por nada, apenas curiosidade minha, mas Ariel e eu temos que nos conhecer melhor, ter alguns encontros antes de ficarmos noivas. Eu não sei nada sobre ela e acredito o mesmo ocorre com ela”. Emma estava arrasada e pôde perceber o olhar preocupado de sua irmã. Zelena percebeu seu desconforto.

“Vocês terão esse jantar e alguns outros encontros com esse objetivo de se conhecerem”. Eric achou melhor falar antes que Zelena fosse grossa ou mal-educada.

“Ariel, por que você não me conta algo ao seu respeito. Quais são seus planos, objetivos? Eu ficaria encantada em saber. E acredito que todos nós vamos adorar ouvir sua história”. Kristin olhou feio para Zelena ao vê-la fazer cara de tédio quem fez biquinho.

“Eu fiz advocacia em Harvard e pretendo ser juíza. Meu sonho é casar com a Emma como foi prometido e ter vários filhos com ela. Além de ser muito bem-sucedida como advogada. E fazê-la muito feliz”. Ariel respondeu e olhou no fundo dos olhos de Emma.

“Ótimo curso Ariel. E não poderia ser em uma faculdade melhor. Aposto que você foi uma das melhores alunas”. Emma comentou educada.

“Eu fui a melhor da minha sala. Eu levo a educação muito a sério. Sou nerd. Não tem coisa mais broxante que mulher burra”. Ariel respondeu e assim ficaram conversando todo o jantar.
Eric e Kris estavam encantados em ver como Emma estava sendo educada e conduzia a conversa sempre sorrindo educadamente.

Quando o jantar terminou, Ariel chegou mais perto de Emma com a intenção de beija-la, Emma resolveu virar o rosto.

“Desculpa Ariel, mas acho melhor deixarmos para nos beijar em um próximo encontro. Foi um prazer em vê-la. Mãe, pai irei ao meu quarto. Boa noite a todos”. Emma se despediu de todos e foi para o quarto.

‘A Emma não está bem. Ela apenas foi educada. Se eu não tivesse um encontro agora mesmo iria atrás, mas amanhã irei falar com minha irmã assim que eu acordar'. Zelena pensou decidida depois de se despedir de todos.

Emma esperou todos irem para os respectivos quartos para sair pela porta dos fundos. 'Eu espero que meus pais me perdoem, mas não posso ficar aqui. Eu preciso pensar sem ser pressionada por ninguém. Acho que o melhor seria eu beber um pouco para a culpa não falar mais alto'. A loira nem se preocupou em mudar de roupa. Apenas pegou uma bolsa e saiu.

Emma achou melhor sair de táxi para não acordar os pais ao ligarem o carro. Ela poderia se transformar em dragão, mas ficar nua na rua onde qualquer um poderia ver não a atraia.

Ela estava há algum tempo no táxi, sem rumo certo quando viu um néon lindo. Ela pediu para o taxista parar e depois de pagar, desceu.
Emma entrou na boate chamada Sin. O ambiente era bastante acolhedor, envolvente. E a loira se sentiu em casa. Era como um déjà vu. Ela sentiu um cheiro forte de maçã e canela. E estranhou já que nunca sentiu algo tão forte. Era um perfume que a puxava, a envolvia.

'Meu Deus. Quem é que tem esse cheiro forte, mas ao mesmo tempo delicioso. Estou embriagada, em êxtase'. Emma estava confusa. Ela sabia que sempre teve um bom olfato, mas nunca foi tão intenso assim.

Regina por sua vez estava estática, a mulher quem seu pai disse ser a mulher da sua vida estava entrando na boate e indo em sua direção.

'Só pode ser ela. A minha mulher. Eu sinto o cheiro dela mais reforçado. E só sentimos isso quando é com a nossa companheira de vida. Ela é tão linda, perfeita. Esse vestido curto e decotado está mexendo e muito comigo, mas tenho que me acalmar. E descobrir tudo o que eu puder sobre ela. Mantenha sua calma e não a ataque sem ao menos saber o nome. Tenha foco Regina Mills'. Regina pensou dentro do balcão. E tentou não babar para sua parceira. Afinal ela era lobo alfa e tinha que dar exemplo.

“Oi eu gostaria de beber uma cerveja”. Emma pediu enquanto reconheceu de onde vinha esse cheiro. E isso a deixou mais confusa ainda. Regina percebeu que sua companheira já havia a reconhecido.

“Aqui está senhorita... Perdão, mas não sei seu sobrenome. E você é nova por aqui. É a primeira vez que a vejo. Meu nome é Regina Mills. Estou a sua inteira disposição”. O lado lobo da morena estava querendo uivar e marcar sua parceira.

“Obrigada Regina. Meu nome é Emma Northman. É a primeira vez que entro por aqui. Eu estava dentro do táxi quando eu vi o néon e acabei entrando. Talvez eu esteja precisando beber um pouco. Quem sabe amanhã já estou pronta para encarar meus problemas”. Emma expôs sem pensar e ficou tímida. 'Que mulher bonita e atraente, mas já deve ter alguém'.

“Pelo que vejo você está precisando se desabafar com alguém que não irá julga-la, critica-la. E estou aqui para lhe dar um ombro. Amanhã seu namorado ou namorada vai cair em si e te pedir desculpas”. Regina não viu aliança, mas resolveu saber antes de tomar qualquer atitude.

“Eu sou solteira, mas eu estou prometida desde criança a uma mulher que não sinto nada além de amizade. Eu pensei que isso fosse ficar para trás, mas hoje a noite ela pediu a mão para os meus pais e eles aceitaram antes de falar comigo. Então eu esperei meus pais dormirem e fugi. Me dê mais um copo de cerveja, por favor?”. Emma fez um resumo da noite e começou a olhar em volta.

Regina não viu marca, então ninguém tinha reivindicado sua mulher. E o lobo mais uma vez gritou minha. Minha parceira de vida. “E você não está com medo de andar sozinha pela rua? Já é tarde e é perigoso andar por aí. Se você quiser, eu posso te fazer companhia até o tempo que eu tiver que fechar a boate”. Regina estava falando em sua voz mais doce e carinhosa, porém por dentro ela estava a ponto de explodir. 'Como os meus futuros sogros podem ser tão irresponsáveis e deixar a minha futura esposa sair a uma hora dessas? Eu teria desconfiado e ido atrás'. Regina deu o seu mais belo sorriso e Emma engoliu em seco.

“Obrigada Regina. Você é muito gentil, mas eu não quero te atrapalhar e nem lhe causar problemas. A sua patroa não vai gostar de te ver conversando comigo. Talvez eu deva sair e procurar uma pensão...” Regina achou melhor falar antes que a loira fosse embora.

“Eu sou a dona dessa boate. Você não está atrapalhando. Daqui uma hora devo fechar. Eu tenho um apartamento e qualquer coisa você dorme no quarto de hóspede”. Emma ia recusar, mas aceitou e ficou conversando até a hora da morena fechar.

Emma estava lá fora, esperando Regina terminar de fechar tudo, quando 5 lobos a atacaram e começaram a rasgar suas roupas. E arranhando várias partes de seu corpo. Um deles voltou a forma humana, e tinha a intenção de estupra-la quando Regina sai da boate em sua forma de lobo. Um lobo preto com pelos longos e os olhos vermelhos, como se tivesse possuída. “Quem são vocês? E como ousam ferir minha companheira de vida? Eu vou mata-los”. Regina rosnou furiosa ao ver Emma fechando os olhos.

“Sua companheira? Eu não vi marca. Ela não tem dona e não passa de uma mulher vulgar, fácil. Nós vamos nos acabar com ela”. O homem falou sarcástico antes de ser atacado por Regina.

“Minha. Ela é minha e ninguém mais irá toca-la. Não enquanto eu viver. Adeus rapazes”. Regina matou os 5 lobos sem pensar duas vezes e depois pegou sua pata esquerda e marcou o pescoço da loira. 'Aguenta firme Emma. Eu vou te levar para o nosso clã. Eu sou curandeira e seu futuro sogro é xamã. Nós vamos te curar'. Regina pegou Emma pelo pescoço sem feri-la mais e foi até seu clã o mais rápido possível para que sua companheira de vida não ficasse pior e acabasse morrendo por hemorragia ou algo parecido.